quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Troféu Santiago Barnabéu: Leão de duas caras

O Sporting deslocou-se ontem ao mítico Estádio Santiago Barnabéu para disputar o troféu com o mesmo nome. Apesar de não se tratar de um jogo oficial, estava em causa o prestígio inerente a um troféu dedicado a um homem que dirigiu o clube merengue durante 35 anos, durante os quais os merengues conquistaram 16 Ligas, 6 Taças do Rei, 6 Liga dos Campeões e 1 Mundial de Clubes.

Paulo Bento colocou Pedro Silva, Ronny, Pereirinha, Tiuí e Postiga de início, guardando os trunfos para a segunda parte. Os dois laterais brasileiros foram presas (demasiado) fáceis para os atacantes madrilenos, numa noite em que Caneira e Rochemback não estiveram ao seu nível. As facilidades eram tantas que o Real já ganhava por 3-0 aos 24 minutos de jogo, com 2 golos de Higuain e 1 de Robben. Ao intervalo o placard assinalava o surpreendente (e humilhante) resultado de 5-1 para os homens da casa, que marcaram mais 2 tentos através de Raul (de penalty) e Van der Vaart, contra um bom golo de Izmailov.


Na segunda parte temia-se a "rendição" dos leões e consequente goleada histórica, mas (felizmente para o clube e para o futebol português) o Sporting mostrou raça e limpou a má imagem deixada na primeira metade da partida. Yannick Djaló apontou um grande golo, que corou mais uma excelente exibição do internacional sub-21 português, e Miguel Veloso fechou as contas de livre directo, já nos descontos. 5-3 acaba por ser um resultado menos mau, depois da péssima primeira parte dos verde-e-brancos. Fica a sensação que se Paulo Bento tem jogado com um onze mais competitivo de início, o Sporting podia ter disputado o Troféu Santiago Barnabéu ombro a ombro com um Real recheado de estrelas.

1 comentário:

Katze disse...

Queria dar os meus parabens ao Izmailov por ter sido o unico ou dos unicos a «atacar» a equipa do Real Madrid na primeira parte...