terça-feira, 30 de setembro de 2008

Em pé de igualdade!

Nos dias que antecedem as jornadas europeias é muito comum a nossa imprensa desportiva destacar as qualidades dos adversários dos clubes portugueses inscritos nestas competições. Revelam os seus jogadores chave, os seus mais recentes sucessos e resultados das competições internas… Atribuem-lhes uma importância tal, que até parece que os feitos das nossas equipas, os seus pontos fortes e as suas qualidades não podem ser nunca comparados com os do adversário. Esta mentalidade acaba por se reflectir quer na atitude dos adeptos, quer por vezes dentro do próprio clube. Afinal, os jogadores são seres humanos e, tal como nós, sentem a sua confiança afectada quando ouvem o seu “ adversário” ser retratado como “todo-poderoso”.
Não quero com isto dizer que não reconheço qualidade às equipas europeias que se atravessaram no caminho dos nossos clubes, muito pelo contrário. Respeito e reconheço essas equipas como adversários exigentes e habituados ao sabor das vitórias. Mas também identifico as nossas equipas como adversários competitivos e prontos para lutar pelo seu triunfo. Tal como os “maravilhosos estrangeiros”, os nossos colectivos também conquistaram e mereceram um lugar na Europa, e como se costuma dizer, neste tipo de competição todos os adversários são difíceis. O que é preciso é “fazer o trabalho de casa”, preparar a equipa para o tipo de confronto em questão e ter confiança num bom resultado. Essa confiança, é alimentada pela equipa técnica e dirigentes do clube, mas é também influenciada por aquilo que a opinião pública transmite.
O exemplo mais recente é o caso do Futebol Clube do Porto que foi hoje derrotado por 4 bolas a 0 frente ao Arsenal. O resultado até pode, à primeira vista, sugerir que o Porto não teve capacidade para defrontar de igual para igual a equipa inglesa e que esta é muito superior. Contudo a derrota dos Dragões não se ficou a dever á falta de capacidades mas sim e sobretudo, à insegurança da equipa. O colectivo de Jesualdo acabou por permanecer demasiado recuado em campo, não pressionando o adversário. Este facto facilitou a progressão do Arsenal que, através da circulação de bola, acabou por criar espaços na área do Futebol Clube do Porto, desorganizando a defesa. Desta forma, e em especial do lado direito, tornou-se fácil para os avançados da equipa britânica movimentarem-se nas costas da defesa Portista, finalizando. Com a desvantagem, a insegurança aumentou e o FC Porto acabou por perder o seu poder ofensivo (que na primeira metade chegou a criar algum perigo na defensiva do Arsenal). A equipa acabou por sofrer o terceiro golo no inicio da segunda parte, e aí “perdeu a cabeça”, praticando um futebol algo desorganizado.
Bastava um pouco mais de confiança para que a equipa comandada por Jesualdo Ferreira se balanceasse mais no ataque, pressionando a defesa adversária que não reage muito bem a este tipo de abordagem. Talvez desta forma, a nossa equipa pudesse ter alcançado a vantagem necessária para destabilizar o Arsenal. O medo do nome do adversário acabou por pesar no resultado, custando 3 pontos ao colectivo Portista.
Atenção, bem sei que a derrota do Porto certamente terá outras motivações para além daquela que aqui foco. No entanto, acho que a sobrevalorização do adversário tem um peso significativo no psicológico da equipa, o que se revelou em campo.
Temos, portanto que começar a dar o devido valor às nossas equipas, não implicando isto, porém, que se deixe de reconhecer a qualidade do adversário. Uma coisa é saber identificar o que vale o nosso rival, outra coisa é sobrevalorizá-lo e esquecer o nosso valor. Não digo que se deixe de “falar” sobre o “inimigo”, apenas penso que se deve destacar também a “equipa da casa”. Afinal, somos tão bons como os outros!

E ainda podia ter sido pior...

O FC Porto fez, esta terça-feira, uma exibição decepcionante ao perder por 4-0 frente ao Arsenal, que retirou aos “dragões” a liderança no Grupo G da Liga dos Campeões.
Perante uma equipa pouco ousada na hora de atacar - ainda que nas poucas vezes que chegou à área adversária tenha criado situações de perigo - o Arsenal desde cedo mostrou as suas intenções, empurrando os portugueses para a defesa e solicitando várias vezes as intervenções do guarda-redes Helton.
Quando saiu do seu meio campo, o FC Porto quase surpreendeu: em contra-ataque, Tomás Costa cruzou para o cabeceamento de Cristian Rodriguez, que bateu no chão e ainda tocou na trave antes de sair.
Apesar de defender com muitos homens, os "dragões", que tinham dificuldades em manter a bola e atacar, concediam espaços na zona defensiva, facto que o Arsenal ameaçava explorar.
Aos 26 minutos, Lisandro disparou de fora da área e obrigou Almunia a defesa apertada para canto e, na sequencia deste, o avançado argentino teve a bola na pequena área, mas não rematou nas melhores condições, tendo Clichy salvo sobre o risco.
Quando o FC Porto parecia crescer, o Arsenal fez dois golos em apenas nove minutos, o primeiro dos quais com Fabregas, aos 31 minutos, a isolar Adebayor, que esperou para servir Van Persie para 1-0.
Aos 40 minutos, num canto, Adebayor subiu mais que Rolando e cabeceou com êxito, com a bola a bater no chão e na trave antes de entrar, aumentando para 2-0 a vantagem da equipa inglesa.
As fragilidades de Benitez no lado esquerdo da defesa foram exploradas ao máximo, como se viu no terceiro tento, em que faltou agressividade na hora de "despachar" a bola, que acabou nos pés de Van Persie, o qual agradeceu a macieza de Bruno Alves antes de bisar.
O Arsenal dispôs de oportunidades para marcar vários golos, mas a falta de pontaria perante tantas facilidades só deram para mais um golo, apontado por Adebayor, aos 71 minutos, numa grande penalidade 'oferecida' por Guarin.
Com este resultado, o Arsenal assumiu a liderança do Grupo G da Liga dos Campeões, com quatro pontos, seguida do FC Porto, com três, Dínamo Kiev (dois) e Fenerbahçe (um), que empataram 0-0 na Turquia.

Num jogo disputado no Estádio Emirates, em Londres, perante cerca de 55.000 espectadores, as equipas alinharam da seguinte forma:

Arsenal: Almunia, Sagna, Touré, Gallas, Clichy, Denilson, Fabregas, Nasri (Eboué, 65), Walcott (Vela, 72), Van Persie (Bendtner, 65) e Adebayor. Suplentes: Fabianski, Ramsey, Silvestre, Eboué, Djourou, Bendtner e Vela.

FC Porto: Helton, Sapunaru, Bruno Alves, Rolando, Benítez, Fernando (Lucho González, 46), Guarín, Raul Meireles (Hulk, 64), Tomás Costa, Rodriguez (Candeias, 79) e Lisandro. Suplentes: Nuno, Pedro Emanuel, Stepanov, Lino, Lucho González, Candeias e Hulk.

Acção disciplinar: cartão amarelo para Clichy (74) e Tomás Costa (83).
Resultados desta terça-feira
Grupo E
Aalborg-Manchester United, 0-3 (Rooney, 22; Berbatov, 55 e 79)
Villarreal-Celtic, 1-0 (Senna, 67)
Grupo F
Bayern Munique-Lyon, 1-1 (Zé Roberto, 52) (Demichelis, 24 p.b.)
Fiorentina-Steaua Bucareste, 0-0
Grupo G
Arsenal-F.C. Porto, 4-0 (Van Persie, 30 e 48; Adebayor, 40 e 70 g.p.)
Fenerbahçe-Dínamo Kiev, 0-0
Grupo H
Zenit-Real Madrid, 1-2 (Danny, 24) (Hubocan, 4 p.b.; Van Nistelrooy, 31)
BATE Borisov-Juventus, 2-2 (Kryvets, 17; Stasevich, 23) (Iaquinta, 28 e 45)

Liga Sagres: Análise da 4ª Jornada

O dérbi lisboeta entre Benfica e Sporting foi naturalmente o grande destaque da 4ª jornada da Liga Sagres. Saíram vencedores os encarnados, que assim quebraram um jejum de 3 anos sem vencer os ‘leões’ no Estádio da Luz.
Num encontro bastante equilibrado, a primeira parte foi dominada pelo Sporting, que controlando as operações a meio-campo com uma boa circulação de bola, mas com pouca agressividade em termos ofensivos, só não chegou em vantagem ao intervalo por culpa própria. Yannick Djaló desperdiçou a maior oportunidade de todo o jogo para os leões quando logo no 1º minuto se isolou e atirou por cima da baliza de Quim. No segundo tempo as coisas mudaram. Com a entrada de Katsouranis ao intervalo para o lugar de Rúben Amorim, Benfica equilibrou as operações.
Já com a equipa estabilizada, a entrada de Aimar aos 15 minutos viria a ser decisiva no desfecho do encontro. Poucos minutos depois, aos 66, Reyes tabelou com o internacional argentino e à entrada da área disferiu uma potente trivela de pé esquerdo, indefensável para Rui Patrício.
Seis minutos após o 1-0, e com a equipa de Paulo Bento ainda meio atordoada, o Benfica ‘matou’ o jogo. Uma falta sobre Pablo Aimar deu origem a um livre, que Carlos Martins cobrou na medida para a cabeça de Sidnei, que assim carimbou a vitória encarnada, num dérbi onde a eficácia do Benfica foi a chave do sucesso.
Eis os melhores momentos do dérbi de Sábado:

Numa jornada onde o Nacional sofreu a primeira derrota do campeonato diante do E. Amadora, destaque também para o regresso às vitórias do FC Porto, que mesmo ainda sem convencer totalmente os seus adeptos, não teve grandes dificuldades para levar de vencida o Paços de Ferreira, triunfando por 2-0, com golos de Raul Meireles e Hulk.
De realçar ainda o triunfo do Leixões no Restelo, que agudizou ainda mais a crise do Belenenses, e permitiu aos de Matosinhos igualarem Nacional e Sporting no topo da tabela.

Resultados: FC Porto-Paços de Ferreira 2-0; Braga-Naval, 1-1; Vitória de Setúbal-Rio Ave, 1-0; Benfica-Sporting, 2-0; Nacional-Estrela da Amadora, 1-2; Marítimo-Académica, 2-0; Trofense-Vitória de Guimarães, 1-3; Belenenses-Leixões, 0-1.

Classificação: 1º. Nacional, 9 pontos; 2º. Sporting, 9; 3º. Leixões, 9; 4º. FC Porto, 8; 5º. Benfica, 8; 6º. Naval, 7; 7º. Vitória de Setúbal, 7; 8º. Estrela da Amadora, 7; 9º. Vitória de Guimarães, 7; 10º. Académica, 6; 11º. Braga, 4; 12º. Marítimo, 4; 13º. Rio Ave, 2 ; 14º. Paços de Ferreira, 1; 15º. Belenenses, 1; 16º. Trofense, 0.

‘Onze’ da Jornada - avaliação da ‘Futebolista’ (de 1 a 10):

Guarda-Redes – Nélson (E. Amadora) – 8 pontos
Defesa – Sidnei (Benfica) - 7
Defesa – Paulo Jorge (Marítimo) – 7
Defesa – Luciano Amaral (V.Guimarães) – 7
Médio – Raul Meireles (FC Porto) - 7
Médio – Vidigal (E. Amadora) – 8
Médio – Reyes (Benfica) – 7
Médio – Marcinho (Marítimo) – 7
Avançado – Braga (Leixões) - 7
Avançado – Aimar (Benfica) – 7
Avançado – Douglas (V. Guimarães) – 8
Golo da Jornada:
Braga (Leixões)
Diz-se muitas vezes que o melhor fica guardado para o fim, e tal ditado aplica-se na perfeição em relação ao golo da 4ª jornada. Foi da autoria de Braga, jogador do Leixões, que através de um pontapé fulminante aos 75 minutos apontou o único golo dos 'homens do mar' na partida frente ao Belenenses.

Vuk espreita titularidade

O Sporting defronta amanhã o Basileia, num jogo em que os "leões"estão obrigados a ganhar os três pontos. Os suiços, que afastaram (injustamente...) o Vitória de Guimarães da liga milionária, voltam a defrontar a turma de Paulo Bento, depois de terem sido eliminados nos 16 avos-de-final da Taça Uefa na época passada (2-0 na primeira mão, 0-3 na segunda). Curiosamente, o herói do Sporting vs Basileia de 13 de Fevereiro de 2008 foi... Vukcevic, que bisou na partida. A novela em torno do montenegrino continua, mas desta vez parece caminhar para um final mais risonho, pois Vuk deverá ser aposta de Paulo Bento para o onze titular que alinhará frente ao clube do português Carlitos. Caneira e Izmailov não recuperaram e não são opções para o treinador leonino.

Brasil vs Portugal a 19 de Novembro

Portugal vai defrontar o Brasil no dia 19 de Novembro deste ano, anunciou hoje a Confederação Brasileira de Futebol. O jogo vai disputar-se no renovado "Bezerrão" (Estádio Walmir Campelo Bezerra), na cidade de Gama. A "selecção das quinas" venceu o último encontro entre os dois países. O jogo teve lugar no Emirates Stadium (local onde o FC Porto defrontará o Arsenal esta noite) e Simão Sabrosa e Ricardo Carvalho apontaram os tentos da vitória lusa (2-0). Antes desta partida amigável, Portugal jogará mais duas partidas da qualificação para o Mundial 2010, contra a Suécia e a Albânia, e já é certo que Carlos Queiroz não irá contar com Simão, Ricardo Carvalho e Deco.

Liga dos Campeões: 'Dragões' à prova no Emirates

O FC Porto procura esta terça-feira fazer história frente ao Arsenal, com a primeira vitória em solo inglês para as competições europeias, que o deixaria em situação privilegiada no Grupo G da Liga dos Campeões.
Depois de vencer os turcos do Fenerbahçe (3-1), o tricampeão português lidera o agrupamento, com três pontos, seguido de Arsenal e Dínamo de Kiev (empataram 1-1 na Ucrânia), ambos com um, e do rival turco, com zero.
Conquistar os três pontos é o ideal, pois quase garantiria o apuramento, mas um empate também serve perfeitamente as contas dos portistas, que continuariam em posição privilegiada e com moral em alta para a visita de domingo ao líder Sporting, na Liga portuguesa.
Ao todo, foram já 11 as vezes que os "dragões" jogaram a doer na Inglaterra, mas o saldo é francamente negativo, com 10 derrotas e apenas um empate (1-1 com Manchester United), que, curiosamente, soube a triunfo, já que valeu seguir em frente na Liga dos Campeões até ao título, em 2003/2004.
Jesualdo Ferreira volta ao Estádio Emirates, palco onde se estreou pelo FC Porto em competições europeias, em 2006/07, quando perdeu por 2-0 com golos de Thierry Henry e Hleb, que agora representam o FC Barcelona.
Desde então, a estrutura dos portistas mudou imenso, pelo que da equipa restam apenas o guarda-redes Helton, o defesa Bruno Alves e o médio Lucho González, alegadamente recuperado das limitações físicas que tem evidenciado.
Nos eleitos de Jesualdo Ferreira, destaque para as ausências do avançado argentino Farias (foi titular frente ao Paços de Ferreira) e o lateral uruguaio Fucile, que continua a revelar dificuldades neste início de época.
Do lado do Arsenal, que no fim-de-semana foi surpreendido em casa na Liga inglesa pelo modesto Hull City (1-2), destaque para o regresso do médio internacional francês Samir Nasri, recuperado de lesão.
O desafio, disputado a partir das 19h45, vai ser dirigido pelo experiente alemão Herbert Fandel, que arbitrou a final da Liga dos Campeões em 2007 e a da Taça UEFA em 2006.

Calendário de hoje:
GRUPO E
Aalborg (Din.) - Man. United (Ing.)
Villarreal (Esp.) - Celtic (Esc.)
GRUPO F
Fiorentina (Ita.) - Steaua (Rom.)
Bayern (Alem.) - Lyon (Fra.)
GRUPO G
Arsenal (Ing.) - FC Porto (Por.)
Fenerbahçe (Tur.) D. Kiev (Ucr.)
GRUPO H
Zenit (Rus.) R. Madrid (Esp.)
B. Borisov (Bie.) Juventus (Ita.)

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Futebol Internacional: Resumo do fim-de-semana

Itália

Um golo solitário de Ronaldinho aos 36 minutos, bastou ao Milão para levar de vencida o dérbi da cidade. Com Quaresma a actuar durante os 90 minutos, o Inter não evitou a primeira derrota no campeonato e deixou o primeiro lugar por troca com a surpreendente Lázio, que venceu fora o Torino. O Milão deu um salto de 4 posições na classificação depois desta importante vitória e está a apenas 1 ponto dos seus grandes rivais, empatado com Juventus, Palermo e Atalanta. Num jogo sempre muito táctico e com pucas chances de golo, a equipa de José Mourinho viu-se reduzida a 10 elementos a partir do minuto 77 com a expulsão de Burdisso, o que facilitou a gestão do resultado por parte do Milão.
Dos restantes jogo da quinta ronda da Série A, destaque para a vitória da Lázio em Turim diante do Torino por 3-1, que valeu à equipa romana o comando do campeonato. O Nápoles, adversário do Benfica na Taça UEFA, também venceu e está mesmo no segundo lugar da classificação. A turma napolitana bateu o Bologna por 1-0, com um golo de Germán Denis aos 86 minutos.

Resultados: Milão-Inter, 1-0; Catania-Chievo, 1-0; Bolonha-Nápoles, 0-1; AS Roma-Atalanta, 2-0; Torino-Lázio, 1-3; Lecce-Cagliari, 2-0; Udinese-Siena, 2-1; Palermo-Reggina, 1-0; Fiorentina-Génova, 1-0; Sampdória-Juventus, 0-0

Classificação: 1º – Lázio, 12; 2º - Nápoles, 11; 3º - Udinese, 10; 4º - Inter, 10; 5º - Catania, 10; 6º - Milão, 9; 7º - Juventus, 9; 8º - Palermo, 9; 9º - Atalanta, 9; 10º - Roma, 7; 11º - Lecce, 7; 12º - Fiorentina, 7; 13º - Génova, 6; 14º - Siena, 5; 15º - Torino, 5; 16º - Chievo, 5; 17º - Sampdória, 4; 18º - Bolonha, 3; 19º - Reggina, 1; 20º - Cagliari, 0.
Espanha

O Valência manteve-se na liderança do Campeonato Espanhol ao derrotar ontem o Corunha por 4-2, naquele que foi o jogo que encerrou a quinta jornada.
David Villa fez dois dos quatro golos de sua equipa e é já o melhor marcador da prova com 6 golos. Com a vitória, o Valência chegou aos mesmos 13 pontos que o Villareal, que venceu sábado o Sporting Gijón por 1-0, mas tem um melhor saldo de golos.
Também no sábado, Real Madrid e Barcelona ganharam confiança antes dos seus encontros de terça e quarta-feira a contar para a Liga dos Campeões ao derrotarem, respectivamente, o Bétis e o Espanhol pelo mesmo 2-1 final. Tanto o Real como o 'Barça' jogaram fora de casa.
No principal embate desta quinta ronda, o Sevilha superou o Atlético de Madrid por 1-0 na capital espanhola. O atacante brasileiro Luis Fabiano fez o único golo do jogo, aos 21 minutos.
Com o resultado, o Sevilha subiu para o quarto lugar da tabela, com 11 pontos. Já o 'Atléti' 'estacionou' nos nove pontos e caiu para a sétima posição.

Resultados: Sp. Gijón-Villareal, 0-1; Espanhol-Barcelona, 1-2; Bétis-Real Madrid, 1-2; Almería-Huelva, 1-0; Atlético de Bilbau-Getafe, 0-1; Málaga-Valladolid, 2-1; Numancia-Osasuna, 0-0; Santander-Maiorca, 1-2; Valência-Corunha, 4-2; Atlético de Madrid-Sevilha, 0-1.

Classificação: 1º. Villarreal, 13 pontos; 2º. Valência, 13; 3º. Real Madrid, 12; 4º. Sevilha, 11; 5º. Barcelona, 10; 6º. Almería, 10; 7º. Atlético de Madrid, 9; 8º. Maiorca, 8; 9º. Getafe, 8; 10º. Espanhol, 7; 11º. Valladolid, 6; 12º. Corunha, 5; 13º. Atlético de Bilbau, 5; 14º. Huelva, 4; 15º. Osasuna, 4; 16º. Numancia, 4; 17º. Málaga, 4; 18º. Bétis, 2; 19º. Santander, 2; 20º. Sp.Gijón, 0.


Inglaterra
Com excepção do Arsenal, surpreendido pelo modesto Hull City em pleno Emirates Stadium (1-2), todos os 'grandes' venceram na sexta ronda da Liga inglesa. Sábado, o Chelsea de Scolari venceu fora o Stoke City por 2-0, e o Liverpool superou o Everton pelo mesmo resultado no dérbi da cidade dos Beatles. Com as vitórias, 'Blues' e 'Reds' lideram a Premier League com 14 pontos.
O Manchester United ascendeu ao 11º lugar depois de superar o Bolton em Old Trafford por 2-0, com Cristiano Ronaldo a marcar o primeiro golo na na conversão de uma grande penalidade inexistente.
Nesta jornada, destaque ainda para o Tottenham que continua sem vencer, tendo averbado nova derrota, desta feita no terreno do Portsmouth, que na quinta feira se desloca a Guimarães para a Taça UEFA.
Resultados: Everton-Liverpool, 0-2; Aston Villa-Sunderland, 2-1; Fulham-West Ham, 1-2; Manchester United-Bolton, 2-0; Middlesbrough-West Bromich, 0-1; Newcastle-Blasckburn, 1-2; Stoke City-Chelsea, 0-2; Arsenal-Hull City, 1-2; Portsmouth-Tottenham, 2-0; Wigan-Man.City, 2-1.

Classificação: 1º. Liverpool, 14; 2º. Chelsea,14; 3º. Aston Villa, 13; 4º. West Ham, 12; 5º. Arsenal, 12; 6º. Hull City, 11; 7º. Blackburn, 10; 8º. Manchester City, 9; 9º. Manchester United, 8; 10º. Sunderland, 7; 11º. Everton, 7; 12º. West Bromwich, 7; 13º. Fulham, 6; 14º. Portsmouth, 6; 15º. Middlesbrough, 6; 16º. Wigan, 5; 17º. Bolton, 4; 18º. Stoke City, 4; 19º. Newcastle, 4; 20º. Tottenham, 2.

domingo, 28 de setembro de 2008

Falar é Fácil!

Falar é fácil! Todos estamos familiarizados com este ditado popular, mas será que somos realmente capazes de o compreender? Lanço esta questão pois, na semana em que o Vitória de Guimarães decide o seu destino na Europa do futebol, são mais uma vez apontadas as “armas” à equipa de Cajuda!
Os Vitorianos são acusados de terem perdido a qualificação para a fase de grupos da “Champions”, de terem comprometido a passagem à fase seguinte na Taça Uefa e de ocuparem o 9º lugar na liga quando apenas estavam cumpridas três jornadas do campeonato nacional!
É certo que as derrotas não agradam a ninguém e que estas não podem ser constantemente toleradas e desculpadas. Mas também é necessário compreender quando é o momento de se criticar e, mais importante que isso, quando há motivos para se criticar. Uma derrota nem sempre resulta de incompetência do treinador ou da falta de empenho dos jogadores. São muitos mais os factores que condicionam as prestações do colectivo em campo. É por isso, que antes de julgarmos o trabalho de um treinador e sua equipa, devemos procurar conhecer e entender o contexto que os envolve.
No caso do Vitória, é necessário ter em conta que os bons resultados conseguidos nas duas últimas épocas “obrigaram” o plantel a lidar com emoções totalmente novas e a enfrentar pressões e exigências até aí desconhecidas: Num momento tinham sido promovidos à Superliga e, no momento seguinte, estavam a disputar a 3ª Pré-eliminatória da “Champions”. Estas “novidades” aliadas a uma eliminação da Liga dos Campeões “forçada” pela equipa de arbitragem, afectaram psicologicamente, como é óbvio, o plantel vitoriano, prejudicando as exibições que se seguiram. Também as lesões contribuíram para a sucessão de resultados menos positivos que se têm registado. Recordo que para o encontro com o Porthsmouth em Drayton Park, Cajuda registava um total de 7 baixas na sua equipa.
A acrescentar a estes factores, existe ainda o contributo “desanimador” de alguma da nossa imprensa que não se cansa de realçar os pontos menos fortes deste colectivo. Relembro a título de exemplo que, na época passada, quando o “pequeno” Vitória lutava pela entrada directa na Liga dos Campeões, ocupando o lugar dos “Grandes”, a comunicação social parecia determinada a desmoralizar o plantel de Cajuda. Parecia encará-los como intrusos! Prova disso foram os vários artigos publicados com vista a destabilizar e pressionar os Guerreiros da Cidade Berço.
Agora, aqueles que na época passada colocaram em causa o valor do Vitória de Guimarães, que os achavam “pequenos” demais para ocupar o 2º lugar na Liga e para ir à “Champions”, fazem exigências dignas de um clube “Grande”. Exigem que o Vitória cumpra aquilo que, equipas com mais meios e mais habituadas a estas andanças europeias, não são capazes de cumprir. Não compreendem que o Vitória cresceu, mas que é necessário tempo para que esse crescimento se possa consolidar e dar frutos. Em vez disso, apressam-se a formular juízos negativos que apenas servem para travar e prejudicar esse desenvolvimento.
Mais uma vez repito: Falar é fácil! E ainda mais quando estamos sentados anonimamente numa bancada. Lá não existem preocupações tácticas, técnicas ou relativas à condição psicológica da equipa; não existem conflitos ou necessidade de tomar decisões; não existe responsabilidade! Dentro de campo tudo muda!
Não estou a dizer que não se deva pedir vitórias, estou simplesmente a afirmar que antes de as exigir devemos estar a par daquilo que realmente se passa. É tempo de distinguir as derrotas e acreditar mais no valor das nossas equipas. Esta na hora, da nossa imprensa procurar realizar críticas mais construtivas e contextualizadas, ajudando os nossos clubes a melhorar os seus pontos mais débeis e a elucidar os seus adeptos.
FORÇA VITÓRIA.

Um bater de asas que faz sonhar com voos altos, mas que pede paciência!

Nesta jornada realizou-se o clássico Dérbi da 2ª circular, no estádio da Luz.
Este encontro opunha o Sporting, que tem dominado até agora, em conjunto com o Nacional, o campeonato (tendo mesmo alcançado o pleno nas primeiras três jornadas), e o Benfica em renovação de Quique, que embora tenha pontuado sempre até ao momento, contava apenas com uma vitória nesta competição, frente ao Paços de Ferreira. As previsões apontavam, portanto, para uma vitória da equipa leonina.
Contudo, o resultado contrariou as expectativas e o Benfica, para além de revelar uma melhoria qualitativa bastante significativa (quer colectiva, quer individualmente), mostrou a sua eficácia e eficiência, e disse “presente” ao campeonato nacional!
No clássico Benfica vs Porto da 2ª jornada, o Benfica que entrou em campo mostrou-se pouco paciente, menos eficaz, menos seguro…mas capaz de lutar contra as adversidades.
Neste jogo, a história já foi diferente. A paciência revelou-se uma característica da equipa encarnada que conseguiu assim praticar um futebol mais organizado, manter a posse de bola, criar mais espaço, mais perigo e dominar parte do encontro. Este Benfica funcionou de forma mais “mecanizada”, com o entendimento entre os jogadores a permitir combinações que abriram portas para acções ofensivas baseadas na troca de bola rápida, nas triangulações e tabelinhas. Houve uma 2ª linha mais presente, um remate de longe mais preciso (por parte de Reyes, Cardozo e Carlos Martins) e uma ocupação racional do interior da grande área. Ainda no ataque observou-se a formação de uma linha ofensiva, que variava entre 3 e 4 jogadores, que contribuiu para um aumento das oportunidades de golo e, consequente, probabilidade de marcar.
No meio campo, Katsouranis veio dinamizar o sector, tornando-o mais activo no trabalho ofensivo e mantendo a ligação entre a defesa e o ataque. Trouxe mais velocidade e mobilidade à zona centro, permitindo criar e aproveitar mais espaços vagos. Constituiu um dos elementos surpresa da estratégia de Quique para este encontro. Yebda demonstrou também melhorias significativas no que toca à capacidade de corte e domínio de bola. Aliás, neste sector todos os médios se mostraram capazes de manter a posse de bola, fazê-la circular, recuperá-la, apoiar a defesa e o ataque…
A nível defensivo, destaque óbvio para a dupla de centrais e para o lateral-esquerdo. Adivinhava-se a integração de Katsou no centro defensivo e de Léo na ala esquerda, mas, em vez disso, Quique apostou na juventude de Sidnei e Miguel Victor para o eixo mais recuado e na garra de Jorge Ribeiro para ocupar a posição do brasileiro (contra o Paços, o lateral português marcou e fez uma exibição de grande qualidade, factos que o colocavam na luta pela titularidade). Estas opções acabaram por se revelar boas apostas, visto que os jovens centrais para além de apoiarem ofensivamente a sua equipa, foram capazes de “fechar” a zona central, bloqueando as iniciativas dos “leões”, e Jorge Ribeiro contribuiu claramente para reduzir os espaços e facilidades ultimamente concedidos na ala esquerda Benfiquista pois é um jogador mais “fixo” que Léo. Estas opções estão também incluídas na “ lista de surpresas” que o Mister da Luz preparou para baralhar o rival lisboeta.
Resta concluir que, à 4ª jornada do Campeonato Nacional, a equipa que na pré-época era dada como claramente “atrasada” em relação aos adversários directos, foi capaz de vencer um dos líderes do campeonato demonstrando uma evolução estrondosa em relação ao clássico da 2ª jornada. Este Benfica em crescimento, que começa agora a bater as asas, conseguiu impor-se frente a uma equipa que vive uma situação muito mais estável e que atinge agora o final da sua fase de renovação. Uma equipa que manteve o treinador pela quarta época consecutiva e cujo plantel se manteve mais ou menos constante, sendo que os reforços adquiridos já conheciam de certa forma a equipa”leonina”. O trabalho que Quique tem desenvolvido é fundamental para a criação de estabilidade na equipa e para a reabilitação do ciclo de vitórias do clube. É um trabalho que tem dado frutos, mas que ainda se encontra no inicio. É um trabalho que pede aos adeptos calma, paciência e racionalidade. Vão certamente haver altos e baixos, e o êxito no campeonato não está garantido, até porque, tal como Flores afirmou, “ não se ganham, nem perdem, campeonatos em Setembro”! Mas se tudo continuar a evoluir desta maneira para o ano o Benfica estará pronto para “voltar a ser Benfica” e marcar novamente o futebol nacional e internacional! Este é o primeiro objectivo: um investimento a longo prazo na criação de um plantel forte e capaz, do qual o sucesso depende, sobretudo, da paciência de quem está ligado às “águias”!

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Vídeo FUTEBOLISTA da semana

O vídeo desta semana é protagonizado não por um jogador ou por uma equipa, mas sim pelo outro lado do espectáculo, os adeptos. O cenário é a meia-final da Liga dos Campeões de 2007 entre o Liverpool e o Chelsea, mas isto acontece quase sempre que os ‘reds’ jogam em casa. Trata-se dos momentos que antecedem a partida, em que milhares de pessoas (sim, porque o Liverpool não tem claques) entoam aquele que é tido como o hino do clube, o mítico You’ll never walk alone. Simplesmente arrepiante…

Para ouvir bem alto:


Na próxima edição... Diego em EXCLUSIVO!

Não perca na próxima edição da Futebolista uma entrevista exclusiva com o internacional brasileiro Diego, unanimemente considerado como um dos melhores ‘10’ da actualidade do futebol europeu. Estranha-se até que continue no Werder Bremen pela terceira época consecutiva, um clube claramente abaixo das suas potencialidades. Em entrevista à Futebolista é o próprio quem revela já alguma saturação pela ausência de títulos no seu currículo, aproveitando também para falar das suas ambições futuras, mas também recordando o passado no FC Porto e as razões que levaram à sua saída.
Não perca a Revista Futebolista de Novembro, amanhã nas bancas!!!

Na próxima edição...

A não perder na próxima edição da Futebolista uma reportagem especial sobre um dos destaques do Sporting neste começo de época. Surgiu como grande promessa à mesma velocidade que se foi apagando, até quase não se dar por ele. Contudo, após uma travessia no deserto e muita insistência de Paulo Bento, Yannick Djaló transfigurou-se e de jogador assobiado, e até sobrevalorizado, passou a titular indiscutível do Sporting, sendo o ‘herói’ da Supertaça e fazendo até ‘esquecer’ o lesionado Liedson. A evolução e o destaque são de tal maneira elevados que até já lhe valeram a chamada à Selecção A. Ainda não se estreou, mas a este ritmo, tal estará para muito breve.

"Levezinho" convocado para o derby

A lista de convocados do Sporting para o derby de amanhã tem como principal novidade o regresso de Liedson às escolhas de Paulo Bento. Por outro lado, como já se suspeitava, Caneira, Izmailov e Vukcevic são baixas confirmadas (o montenegrino fica de fora por lesão, e não por opção técnica, revelou o treinador "leonino").

Exactamente 5 meses depois do último jogo (Sporting vs Marítimo, a 27 de Abril), o "levezinho" tem a possibilidade de regressar aos relvados, caso Paulo Bento opte por colocá-lo em campo. Liedson costuma ter pontaria afinada contra o Benfica, tendo facturado 8 golos aos "encarnados" desde que está em Portugal.

Confira alguns dos golos de um dos melhores avançados do futebol português:




Na próxima edição...

Não perca na próxima edição da Futebolista uma reportagem especial sobre o novo herói da Luz. ‘Bastou’ vencer os Jogos Olímpicos ao serviço da Argentina e marcar o golo decisivo na final para de repente todas as atenções recaírem sobre ele. Angel Di Maria tornou-se numa espécie de ‘messias’ dos adeptos do Benfica e para os dirigentes do clube, uma vez que o cerco já começa a apertar sobre ‘el Flaquito’. 30 milhões de euros é o seu preço, mas agora só em Janeiro é que podem haver desenvolvimentos. Até lá, fique a conhecer melhor o ‘20’ que faz sonhar os benfiquistas.

Liga Sagres: 4ª jornada arranca no Dragão

O F.C. Porto recebe o Paços de Ferreira, na 4ª jornada da Liga 2008/09. O encontro está marcado para as 21h15 de hoje e marca o arranque de uma ronda que reserva um Benfica-Sporting, derby a que os dragões irão prestar natural atenção. Com quatro pontos de desvantagem para os líderes Nacional e Sporting, a equipa de Jesualdo Ferreira recebe um adversário que procura fugir aos últimos lugares da tabela classificativa.
Os dragões procuram navegar para o topo da classificação, mas perderam 'el comandante'. Lucho González saiu da lista de convocados, com a gestão de esforço como explicação. Referência nas transições ofensivas do F.C. Porto, o médio argentino assume-se como uma ausência de vulto. Será, portanto, um teste à capacidade de superação de uma equipa que procurava Lucho nos momentos difíceis. Sem o capitão, Tomás Costa assume-se com o substituto natural, com características naturalmente distintas.
O Paços de Ferreira apresenta-se no Estádio do Dragão com um registo curioso. A formação pacense já marcou cinco golos na Liga 2008/09, em apenas três jogos, superando inclusivamente o F.C. Porto, que contabiliza apenas três. Contudo, o registo goleador traduz-se apenas num ponto, conquistado fora de portas.

Equipas prováveis:
F.C. PORTO: Hélton; Sapunaru, Bruno Alves, Rolando e Lino; Tomás Costa, Fernando e Raul Meireles; Mariano González, Lisandro López e Cristian Rodriguez.

P. FERREIRA: Bruno Conceição; Ricardo, Tiago Valente, Ozeia e Chico Silva, Filipe Anunciação, Paulo Sousa e Pedrinha; Edson, William e Leandro Tatu.

Na próxima edição...

A não perder na próxima edição da Futebolista uma antevisão da Liga dos Campeões, a maior e mais emocionante competição de clubes do mundo. O detentor do título é o Manchester United, mas as dificuldades para o renovar serão inequívocas. É certo que continua a contar com Cristiano Ronaldo, mas a concorrência é de respeito: Ibrahimovic, Torres, Lampard, Fabregas, Messi, Nistelrooy, Aguero, Benzema, e claro, os ‘nossos’ Deco, Lucho, Rochemback, Danny, Simão, Pepe… Enfim a lista é interminável, mas tal é também espectáculo e emoção garantidos ao longo dos próximos meses.

Liga Espanhola: Real 'esmaga' Gijón

Barcelona e Real Madrid venceram as suas partidas da 4ª Jornada da Liga Espanhola, ronda que começou na Quarta Feira e que terminou ontem à noite.
Em Camp Nou, o Barcelona teve dificuldade em levar de vencida o Bétis (3-2) depois de ter estado com uma vantagem de dois golos. Já a palavra «dificuldade» não figurou no dicionário 'merengue', já que a vitória por 7-1 sobre o Sporting de Gijón não deixa margem para dúvidas.
Quem também deu sequência aos bons resultados das recentes semanas foi o Atlético de Madrid, que venceu no terreno do Getafe por 1-2, numa partida onde Maniche foi obrigado a abandonar o terreno de jogo por lesão aos 16 minutos.
De entre os jogos que ontem encerraram a jornada, o grande destaque vai para a vitória do Valência em Málaga por 2-0, resultado que permitiu à equipa 'che' igualar o Villareal no topo da tabela.

Resultados: Quarta Feira: Barcelona - Bétis 3-2; Osasuna - Deportivo 0-0; Villarreal - Santander 2-0; Getafe - Atletico Madrid 1-2; Real Madrid - Sporting Gijón 7-1; Sevilha - Espanhol 2-0; Ontem: Málaga – Valência 0-2; Huelva - Athletic Bilbao 1-1; Valladolid - Almeria 2-0; Maiorca – Numância 2-0.

Classificação: 1º. Valência, 10; 2º. Villarreal, 10; 3º. Real Madrid, 9; 4º. Atletico Madrid, 9; 5º. Sevilha, 8; 6º. Barcelona, 7; 7º. Almeria, 7; 8º. Espanyol, 7; 9º. Valladolid, 6; 10º. Athletic Bilbao, 5; 11º. Getafe, 5; 12º. Deportivo da Corunha, 5; 13º. Maiorca, 5; 14º. Huelva, 4; 15º. Osasuna, 3; 16º. Numância, 3; 17º. Bétis, 2; 18º. Santander, 2; 19º. Málaga, 1; 20º. Sporting Gijon, 0

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

VAI DAR QUE FALAR... Fran Mérida

Formado na cantera do Barcelona, Francisco Mérida Pérez assinou pelo Arsenal aos 15 anos de idade. Tal como Fabregas, o clube catalão não recebeu qualquer indemnização pela transferência do jovem promissor. Sempre debaixo de olho do treinador Arsene Wenger, Mérida foi evoluindo até assinar contrato profissional aos 17 anos. Teve uma estreia brilhante na equipa principal dos "Gunners", quando em Agosto de 2006 marcou um golo no amigável frente ao Boreham Wood.


O seu primeiro jogo oficial aconteceu a 25 de Setembro de 2007, onde contabilizou alguns minutos numa partida referente à Carling Cup, contra o Newcastle. Com poucas oportunidades para brilhar, o médio foi emprestado à Real Sociedad (2ª divisão espanhola), onde fez 14 jogos e marcou um golo.

Conscientes da pérola que tinham em mãos, os dirigentes do Arsenal prolongaram o seu contrato em Abril de 2008, respondendo assim ao forte assédio de clubes de nomeada. 2008/2009 pode ser a época de afirmação deste talentoso jovem que Arsene Wenger apelida de "jogador absolutamente fantástico". No passado dia 23 de Setembro, Mérida foi titular na goleada que o Arsenal impôs ao Sheffield United (6-0), para a Carling Cup.

O médio criativo (pode actuar no miolo do terreno ou descaído para a esquerda) fez parte da selecção de sub-17 da Espanha que venceu o Europeu em 2007, e que ficou em segundo lugar no Mundial da mesma categoria, disputado também em 2007, na Coreia do Sul. Com 18 anos apenas, já pisca o olho à selecção de sub-21 dos "nuestros hermanos".

Ficha Técnica
Nome: Francisco Mérida Pérez
Data de nascimento: 04/03/1990 (18 anos)
Local de nascimento: Barcelona
Nacionalidade: Espanhola
Altura: 1.74m
Posição: Médio

Eis alguns dos melhores momentos da ainda curta carreira de Mérida:


Liga Italiana: Mourinho soma e segue

O Inter de Milão teve dificuldades em bater o recém-promovido Lecce, na quarta jornada da Liga italiana, mas conseguiu os três pontos graças a um golo do argentino Julio Cruz (1-0), o que permite à equipa de José Mourinho continuar a liderar a prova. Com mais um jogo sem perder em casa, o técnico português atingiu a marca de 100 partidas consecutivas sem conhecer a derrota quando recebe os seus adversários. No FC Porto, Chelsea e Inter de Milão, ou melhor, no Dragão, Stamford Bridge e San Siro, são já uma centena o número de jogos consecutivos sem conhecer o sabor amargo da derrota em partidas a contar para as Ligas Nacionais.
O emblema de Milão passa a estar isolado no topo, com 10 pontos, já que a Juventus 'escorregou' ao empatar em casa com o Catania e segue no grupo dos quartos com oito pontos, tendo sido ultrapassada na ronda por Lázio e Atalanta, que agora repartem o segundo lugar, com nove pontos.
Sem portugueses em acção, o Inter viu-se e desejou-se no Giuseppe Meazza para ganhar ao Lecce, só o conseguindo com o golo do suplente Julio Cruz, aos 79 minutos.
Em Turim a Juventus começou bem e adiantou-se por Amauri, aos 16 minutos, mas Plasmati empatou aos 68 para o Catania, estabelencendo o 1-1 final.
O Nápoles, adversário do Benfica na Taça UEFA, ganhou em casa ao Palermo por 2-1 e subiu ao quarto lugar, em igualdade com a Juventus. Hamsik (14) e Zalayeta (75) marcaram os golos napolitanos, tendo o Palermo reduzido através de grande penalidade marcada pelo ex-benfiquista Miccoli (83).
A Fiorentina, que está na Liga dos Campeões, é por enquanto a grande desilusão a nível interno, perdendo nesta ronda em Roma com a Lázio por 3-0 e descendo para 16º, a seis pontos do líder. Mauri (51), Pandev (55) e Siviglia (59) foram os marcadores de serviço.
O Milão parece estar a recuperar de um início de época titubiante e ganhou 2-1 no campo da Reggina, subindo ao 10º lugar com seis pontos.

Resultados: Inter - Lecce 1 - 0; Atalanta - Cagliari 1 - 0; Juventus - Catania 1 - 1; Chievo - Torino 1 -1; Génova - Roma 3 - 1; Bologna - Udinese 0 - 3; Nápoles - Palermo 2 - 1; Sienna - Sampdória 0 - 0; Lázio - Fiorentina 3 - 0; Reggina - Milão 1 - 2.

Classificação: 1º. Inter, 10 pts; 2º. Lazio, 9; 3º. Atalanta, 9; 4º. Nápoles, 8; 5º. Juventus, 8; 6º. Udinese, 7; 7º. Catania, 7; 8º. Génova, 6; 9º. Milão, 6; 10º. Palermo, 6; 11º. Torino, 5; 12º. Sienna, 5; 13º. Chievo, 5; 14º. Roma, 4; 15º. Lecce, 4; 16º. Fiorentina, 4; 17º. Sampdória, 3; 18º. Bologna, 3; 19º. Reggina, 1; 20º. Cagliari, 0.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Derby lisboeta já ferve!

Faltam 3 dias para o "escaldante" derby da capital. Para os lados de Alvalade a confiança está em alta, mercê das 3 vitórias que colocam o Sporting na liderança da liga, a par do surpreendente Nacional da Madeira. Na Luz respira-se de alívio. Após a sofrida vitória sobre o Paços de Ferreira, os índices anímicos estão a melhorar, e o factor casa (prevê-se estádio cheio) poderá ser importante no desenrolar do jogo.


São várias as dores de cabeça para os treinadores. Do lado dos "leões", Derlei, Caneira e Izmailov estão em dúvida, sendo que o brasileiro já integrou hoje os treinos. Os "encarnados" não podem contar com David Luiz, Suazo (lesionados) e Luisão, que cumpre o segundo jogo de suspensão na sequência da agressão a Sapunaru.

Em 3 jornadas disputadas, o Sporting regista 6 golos marcados e apenas 1 sofrido. O Benfica marcou o mesmo número de golos, mas sofreu 5. Na última época o placard permanceu a zeros, e a arbitragem de Pedro Henriques fez correr muita tinta na imprensa. Bom futebol, golos, boa arbitragem é o que se espera do 189º derby entre "leões e "águias".


Hoje há Taça da Liga

Uma dúzia de equipas defronta-se quarta-feira na segunda jornada da segunda fase da Taça da Liga, prova que ainda não conta com os primeiros seis classificados do campeonato do ano passado.
No Grupo A, o 'europeu' Sporting de Braga descansa após ter goleado em casa o Leixões (4-0), embora a equipa de Matosinhos se tenha vingado no campeonato com um triunfo por 2-0 sobre os 'arsenalistas'. O Leixões, agora quinto classificado da Liga, recebe o Rio Ave, 12º colocado, mas que já "empatou" Benfica e o tricampeão FC Porto, no Estádio dos Arcos, em jogos do campeonato.
O Belenenses também empatou sem golos na recepção ao Sporting da Covilhã e cede o protagonismo no Grupo B aos 'leões da serra', que recebem o Gil Vicente, seguindo-se a visita dos "azuis" a Barcelos, a 29 de Outubro.
No agrupamento C, o Estrela da Amadora recebe o Vizela, após perder na visita ao Paços de Ferreira (2-1), tratando-se da última oportunidade de os amadorenses somarem pontos, já que o Vizela recebe depois os 'canários'.
O Trofense, no Grupo D, também tenta amealhar os primeiros pontos da época, já que perdeu as primeiras três partidas do campeonato e o treinador António Conceição, que acordou segunda-feira a rescisão, na recepção à União de Leiria, após também ter perdido na visita ao Nacional (2-0), na primeira ronda da Taça da Liga.
No Grupo E, Estoril e Olhanense também se batem no Vale da Amoreira para alcançarem a Naval 1º de Maio, que somou três pontos na primeira jornada da prova à custa da equipa da Linha de Cascais (3-2). O Freamunde, que empatou a um golo na visita à Académica, vai ser visitado agora pelo Gondomar, outra equipa que ainda não se estreou.
Apenas os primeiros classificados de cada agrupamento ficam apurados para a terceira fase, a ser disputada em três grupos de quatro equipas, já com os primeiros seis classificados da Liga 2007/08, apurando-se para as meias-finais os três vencedores das 'poules' e o melhor segundo classificado.

Jogos da segunda jornada da segunda fase:
GRUPO A
Leixões-Rio Ave (16:00, SIC)
GRUPO B
Sp. Covilhã-Gil Vicente (19:30)
GRUPO C
E. Amadora-Vizela (16:00)
GRUPO D
Trofense-U. Leiria (19:00, SportTV2)
GRUPO E
Estoril-Olhanense (16:00)
GRUPO F
Freamunde-Gondomar (20:30)

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Liga Sagres: Análise da 3ª Jornada

A terceira ronda da Liga fica marcada pelo empate do FC Porto em Vila do Conde e pelo primeiro triunfo do Benfica neste campeonato. Sporting e Nacional venceram pela terceira vez consecutiva e mantêm-se lado a lado no topo da tabela.
À terceira foi de vez. Após empates frente a Rio Ave e FC Porto, o Benfica ‘balançou’, mas não caiu em Paços de Ferreira. Um 4-3 sofrido, mas que permite aos encarnados colarem ao FC Porto na classificação e encararem assim o dérbi frente ao Sporting com outra confiança.
Depois do Benfica, agora foi o FC Porto a não passar em Vila do Conde. Foi o segundo empate consecutivo dos dragões, que pagaram caro uma fraca primeira parte. No segundo tempo, um bem organizado Rio Ave conseguiu suster a pressão dos azuis e brancos, que se podem ainda queixar de um pénalti que ficou por marcar a seu favor.
Em Alvalade nem foi preciso um grande Sporting para levar de vencida um Belenenses que está muito aquém da época passada. Com golos de Hélder Postiga e Romagnoli os leões alcançaram a terceira vitória consecutiva na Liga e confirmaram o bom momento que atravessam.
Na Madeira, nunca a expressão ‘o que é Nacional é bom’ fez tanto sentido. A equipa de Manuel Machado continua a surpreender e nesta ronda foi a Guimarães vencer ‘sem espinhas’ por 2-0, mantendo desta forma o comando da tabela.
Numa jornada onde o Leixões ‘bateu o pé’ ao Braga, há ainda a destacar, pela negativa, a primeira ‘chicotada’ na Liga, com o Trofense a rescindir com o treinador Toni, que não resistiu a três derrotas em outros tantos encontros.
Resultados da 3ª Jornada: Sporting – Belenenses, 2-0; Estrela da Amadora - Marítimo, 0-0; Naval 1º de Maio - Trofense, 3-1; Leixões - Sporting de Braga, 2-0; Rio Ave - FC Porto, 0-0; Académica - Vitória de Setúbal, 1-0; Vitória de Guimarães - Nacional, 0-2; Paços de Ferreira - Benfica, 3-4.

Classificação: 1º. Nacional, 9 pontos; 2º. Sporting, 9; 3º. Naval, 6; 4º. Leixões, 6; 5º. Académica, 6; 6º. FC Porto, 5; 7º. Benfica, 5; 8º. V. Setúbal, 4; 9º. V. Guimarães, 4; 10º. E. Amadora, 4; 11º. Braga, 3; 12º. Rio Ave, 2; 13º. P. Ferreira, 1; 14º. Belenenses, 1; 15º. Marítimo, 1; 16º. Trofense, 0.

‘Onze’ da Jornada - avaliação da ‘Futebolista’ (de 1 a 10):

Guarda-Redes – Paiva (Rio Ave) – 8 pontos
Defesa – Bruno Mendes (Rio Ave) - 7
Defesa – Miguel Lopes (Rio Ave) – 7
Defesa – Alonso (Nacional) – 7
Médio – Roberto Sousa (Leixões) - 7
Médio – Luís Alberto (Nacional) – 7
Médio – Rúben Amorim (Benfica) – 7
Médio – Wesley (Leixões) – 8
Avançado – Nenê (Nacional) – 7
Avançado – Nuno Gomes (Benfica) – 7
Avançado – Hélder Postiga (Sporting) – 7

Ricardo Carvalho e Deco no estaleiro

Os portugueses Ricardo Carvalho e Deco são baixas certas para os próximos jogos do Chelsea. O jogo do último fim-de-semana contra o Manchester United deixou mazelas nos dois jogadores, que vão parar durante 4 e 2 semanas, respectivamente. O central vai mesmo falhar os próximos dois jogos da Selecção Nacional, frente à Suécia e Albânia. Quanto ao "mágico", tudo indica que estará recuperado a tempo de integrar a convocatória de Carlos Queiroz.

Taça de Portugal: Sorteio da 3ª eliminatória

A terceira eliminatória da Taça de Portugal não terá qualquer encontro entre equipas da Liga, embora ao Sporting, detentor do troféu, tenha calhado uma visita ao U. Leiria, que desceu há poucos meses ao segundo escalão. O F.C. Porto visita de resto o Sertanense, curiosamente numa repetição do encontro do ano passado, enquanto o Benfica recebe o Penafiel.
Os jogos foram sorteados esta terça-feira e estão marcados para 19 de Outubro, havendo desde já alterações definidas. O F.C. Porto pediu para jogar no dia anterior, por ter compromisso europeu a 21, e as equipas dos Açores também irão jogar a 18, por causa das eleições regionais.
Jogos da 3ª eliminatória:

V. Setúbal-Ribeirão
Arouca-Marítimo
P. Ferreira-Rebordosa
U. Leiria-Sporting
Sertanense-F.C. Porto
D. Chaves-Sp. Braga
Esmoriz-Maria da Fonte
V. Guimarães-U. Lamas
Sanjoanense-Gondomar
D. Aves-Gândara
Benfica-Penafiel
Torreense-Académica
Santa Clara-Lusitano/Fiães
Nacional-Angrense
Olhanense-Valdevez
Gil Vicente-Rio Ave
Fátima-Farense
Beira Mar-Atlético Monsaraz
Aliados Lordelo-Trofense
Paredes-Cinfães
Amares-Belenenses
Boavista São Mateus-Naval
Portimonense-Pinhalnovense
Leixões-Caniçal
Sp.Covilhã-Varzim
Boavista-Lousada
E. Amadora-Operário Açores
Santana-Odivelas
Vizela-Estoril
U. Madeira-Camacha
Fabril Barreiro-Ol. Moscavide

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

É preciso saber perder!

Todas as épocas têm algo em comum: as críticas feitas à nossa arbitragem. Rara é a ocasião em que, perante um resultado negativo, os clubes e/ou respectivos adeptos não justifiquem a ineficácia do seu ataque ou as debilidades defensivas da sua equipa com as lacunas da arbitragem. Vivemos dos erros dos árbitros, não da qualidade do nosso futebol. Queremos sempre ver marcado o penalti que mudaria o resultado!
Esta última jornada não fugiu à regra e a arbitragem voltou a servir de desculpa para os maus resultados de algumas equipas! Não estou com isto a querer dizer que não tenham razão quanto aos erros apontados. Estou sim, a alertar para o facto do resultado não depender exclusivamente da arbitragem, estando sobretudo nos “pés” de quem joga. Se não foi marcado um penalti e perdemos, devemos ser capazes reconhecer que a equipa não foi capaz de concretizar e defender de forma coerente necessitando, portanto, esses sectores de serem afinados. Como se pode constatar, nesta área o árbitro não teve qualquer influência!
É fundamental que comecemos a encarar os resultados negativos como uma forma de avaliar e descobrir certas dificuldades, como um meio de melhorar a qualidade da nossa equipa, mas também como uma arma para aprender a identificar as falhas do colectivo!
É certo que existem determinados lances verdadeiramente escandalosos, que nos revoltam! Lances que decidem resultados, que “desfazem” todo o esforço de uma equipa! Mas é nesses momentos que devemos manter a lucidez para reclamar de forma digna e assertiva. É nesses momentos que devemos assumir o nosso direito a um resultado justo, fruto do esforço e do empenho de uma equipa, seja ela qual for. Um resultado justo é um acto de justiça e não de desculpas. O facto de um árbitro se mostrar menos profissional do que o que deveria ser não pode servir de justificação para tudo o que acontece dentro das quatro linhas. Já parece aquela velha lengalenga do “ Não tenho tempo…” que utilizamos para justificar a nossa falta de vontade de tentar fazer alguma coisa, de nos empenharmos.
Está na altura do futebol Português crescer e se tornar mais maduro. É tempo de deixarmos de “sacudir a água do capote” e começarmos a admitir quando falhamos, quando não somos suficientemente bons. É preciso saber perder!

O umbigo de Vukcevic...

Simon Vukcevic é o personagem principal da mais recente novela do futebol português. O montenegrino interpreta o papel de um futebolista ambicioso, que almeja atingir o estrelato o mais rápido possível. Tem como aliados dois Zorans, o Filipovic e o Stojadinovic. O seu principal inimigo é Paulo Bento, treinador que tem conduzido o Sporting a grandes vitórias mas que insiste em deixar o "10" de fora. Derlei, um dos mais velhos do plantel, acaba de pregar uma rasteira no companheiro («com o regresso do Liedson, mais um para lutar pela titularidade, mais vale arrumar já com este», pensou o "ninja").

Depois de ter sido eleito (pelos treinadores) o jogador revelação da época passada, Simon estranha o facto de não jogar e exige mais oportunidades. Depois de uma intensa luta verbal, o seu treinador concede-lhe 45 minutos de jogo e o montenegrino até corresponde da melhor maneira, rubricando uma boa exibição. No entanto, Vukcevic queria mais, e tomou uma decisão irredutível: «Decidi que vou sair em Dezembro. Eu só queria jogar e ajudar a equipa mas isso, pelos vistos, é mau aqui». Quando tudo parecia entrar nos eixos (a lesão de Izmailov veio mesmo a calhar), Vuk decide, sozinho e em pouco mais de meia hora, que vai sair. Fala como se fosse ele o dono do seu passe. Dois dias depois, o seu empresário, Zoran Stojadinovic, afirma que não há problemas entre Paulo Bento e o seu jogador... A culpa é do sistema... táctico!


Pelo meio, Paulo Bento, revelando toda a sua sapiência, sublinha que o Natal é dia 25 de Dezembro. Enquanto os fãs do futebol aguardam impacientemente pelos próximos episódios desta emocionante novela, Simon Vukcevic estuda várias hipóteses para fugir em Dezembro: arranjar alguém que pague a sua cláusula de rescisão (Manchester City ou Al-Ittihad afiguram-se como boas opções...); convencer o Saturn (que detém metade do seu passe) a levá-lo de novo para a Rússia; ou então esperar sentado até 2012, altura em que finda o seu contrato e poderá rumar livremente a um grande clube europeu...

Futebol Internacional: Resumo do fim-de-semana

Inglaterra

No encontro que marcou a estreia de C. Ronaldo na ‘Premier League’ deste ano (entrou aos 55 minutos), Chelsea e Manchester United empataram ontem a um golo, naquele que foi o jogo grande da quinta jornada da Liga inglesa, uma igualdade que permitiu ao Arsenal passar para a liderança do campeonato.
Em Londres, a equipa comandada por Alex Ferguson adiantou-se aos 18 minutos graças a um golo do sul-coreano Park Ji-sung, numa altura em que Ricardo Carvalho já tinha substituído por lesão.
Sem poder contar com o Deco (lesionou-se no aquecimento) e com o marfinense Didier Drogba a fazer o seu primeiro jogo da época, o Chelsea acabou por se valer de outro marfinense, o suplente Salomon Kalou para igualar a dez minutos do final.
Graças a este empate, Scolari conseguiu manter a série de jogos em casa do Chelsea sem perder, clube que agora soma 85 encontros sem conhecer a derrota em Stamford Bridge.
Destaque também para a goleada imposta pelo Man. City ao Portsmouth por 6-0 e para o empate caseiro do Liverpool frente ao Stoke City.
O Tottenham continua a não conseguir vencer, e desta vez empatou em casa a zero frente ao Wigan.
Resultados: Sunderland-Middlesbrough, 2-0; Blackburn-Fulham, 1-0; Liverpool-Stoke City, 0-0; West Ham-Newcastle, 3-1; Bolton-Arsenal, 1-3; West Bromwich-Aston Villa, 1-2; Chelsea-Manchester United, 1-1; Hull City-Everton, 2-2; Manchester City-Portsmouth, 6-0; Tottenham-Wigan, 0-0.
Classificação: 1. Arsenal, 12 pontos; 2. Liverpool, 11; 3. Chelsea,11; 4. Aston Villa, 10; 5. West Ham, 9; 6. Manchester City, 9; 7. Hull City, 8; 8. Sunderland, 7; 9. Blackburn, 7; 10. Everton, 7; 11. Fulham, 6; 12. Portsmouth, 6; 13. Middlesbrough, 6; 14. Wigan, 5; 15. Manchester United, 5; 16. Bolton, 4; 17. West Bromwich, 4; 18. Stoke City, 4; 19. Newcastle, 4; 20. Tottenham, 2.

Itália
À terceira jornada, o Inter já está no comando do campeonato italiano, embora em igualdade pontual com a Juventus. A equipa de José Mourinho venceu ontem no terreno do Torino por 3-1. Os golos da equipa ‘nerazzuri’ foram apontados por Pisano (24 npb), Maicon (26) e Ibrahimovic (51), enquanto Abbruscato (76) reduziu para a formação visitada.
No grande embate da jornada, o Milão alcançou a sua primeira vitória no campeonato, ao bater a Lázio por quatro bolas a uma em San Siro.
A Juventus também ganhou fora, em Cagliari, com um único golo, de Amaruri, e também somou a segunda vitória na Série A.
Destaque ainda para a Roma, que somou a sua primeira vitória na temporada ao vencer no sábado a Reggina por 3-0.

Resultados: Roma-Reggina, 3-0; Catania-Atalanta, 1-0; Cagliari-Juventus, 0-1; Fiorentina-Bolonha, 1-0; Lecce-Siena, 1-1; Palermo-Génova, 2-1; Sampdoria-Chievo, 1-1; Torino-Inter Milão, 1-3; Udinese-Nápoles, 0-0; Milão-Lázio, 4-1.

Classificação: 1º – Inter, 7; 2º - Juventus, 7; 3º - Lázio, 6; 4º - Palermo, 6; 5º - Catania , 6; 6º - Atalanta, 6; 7º - Nápoles, 5; 8º - Roma, 4; 9º - Torino, 4; 10º - Siena, 4; 11º - Udinese, 4; 12º - Fiorentina, 4; 13º - Chievo, 4; 14º - Lecce, 4; 15º - Milão, 3; 16º - Génova, 3; 17º - Bolonha, 3; 18º - Sampdória, 2; 19º - Reggina, 1; 20º - Cagliari, 0.

Espanha

Numa terceira jornada que colocou o Valência no topo da tabela após vencer no Mestalla o Osasuna por uma bola a zero, destaque para as vitórias forasteiras de Barcelona e Real Madrid.
Em Gijón, o ‘Barça’ ‘atropelou’ o Sporting local por esclarecedores 6-1, já o Real foi até Santander vencer o Racing por 2-0, com os golos merengues a serem apontados no segundo tempo.
Nota ainda para a expressiva vitória caseira do Atlético de Madrid sobre o Huelva (4-0), com Maniche a marcar um dos golos e a realizar uma grande exibição.

Resultados: Atlético Madrid 4-0 Huelva; Espanhol 1-1 Getafe; Almeria 1-0 Málaga; Valência 1-0 Osasuna; Numância 1-2 Villarreal; Corunha 0-0 Maiorca; Bétis 0-0; Sevilha; Atlético Bilbau 2-0 Valladolid; Racing 0-2 Real Madrid; Gijón 1-6 Barcelona.
Classificação: 1º – Valência, 7; 2º - Almeria, 7; 3º - Villareal, 7; 4º - Espanhol, 7; 5º - Atl. Madrid, 6; 6º - Real Madrid, 6; 7º - Sevilha, 5; 8º - Getafe, 5; 9º - Barcelona, 4; 10º - Ath. Bilbao, 4; 11º - Corunha, 4; 12º - Numancia, 3; 13º - Valladolid, 3; 14º - Huelva, 3; 15º - Osasuna, 2; 16º - Bétis, 2; 17º - R. Santander, 2; 18º - Maiorca, 2; 19º - Málaga, 1; 20º - Sp. Gijón, 0.

domingo, 21 de setembro de 2008

Nem tudo se vê da bancada!

A maioria dos adeptos do desporto-rei tem uma “visão” demasiado superficial do jogo. Regra geral, quando assistimos a um jogo de futebol aquilo que mais nos fascina são as jogadas com bola (os golos, as fintas, os passes milimétricos…). Mas esta paixão pelo espectáculo acaba por “encobrir” todo um conjunto de acções sem bola que ocorrem em campo, acções essas que são essenciais para que as “jogadas com bola” possam ser concretizadas com sucesso!
Quantas e quantas vezes damos por nós a “gritar com a televisão” porque um jogador fez um passe para a “zona de ninguém”? São situações que nos surpreendem e nos fazem atribuir culpas erradamente, mas ao mesmo tempo permitem reflectir sobre a importância das movimentações sem bola. Nesses lances, por nós tão duramente criticados, a falha não está em quem realiza o passe, mas sim em quem não se movimenta no momento certo para o local onde a bola é colocada. A falha pertence ao “jogador sem bola”! Aqui ele é que é a peça fundamental. O ”jogador com bola” apenas serve de elemento de ligação!
O chamado “jogo sem bola” é, como se pode concluir, responsável pela “abertura” de espaços, pela criação de superioridade numérica, pela criação de linhas de passe, por baralhar as marcações do adversário… É um “ jogar ” que exige inteligência, mobilidade, visão de jogo e muita concentração. Ao mesmo tempo é uma forma de estar em campo muito discreta, sem o “brilho” das fintas e beleza dos golos, o que lhe retira, de certa forma, o interesse por parte do público. Esta faceta do jogo é assim desprezada, embora se trate da base táctica do futebol.
São contudo estes pormenores que geralmente vemos como pouco interessantes, que tornam o futebol muito mais do que um mero jogo. É esta complexidade que permite que a beleza do desporto-rei seja reconhecida! São estas movimentações que permitem alcançar a confiança no colectivo e mecanizar a forma de jogar!
É uma pena que algo tão fulcral no futebol passe despercebido aos olhos dos adeptos!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Taça UEFA: Equipas lusas com sortes diferentes

Confirmou-se o que seria previsível. O Braga foi o único a vencer das 5 equipas em acção na Taça UEFA. O Vitória de Guimarães perdeu no terreno do fortíssimo Portsmouth, por 2-0, com golos de Diarra e Defoe, numa noite em que Nilson brilhou a grande nível. Depois de uma primeira parte apagada, com a Fajardo a falhar um penalty, os vimaranenses estiveram melhor na segunda metade, ficando muito perto do golo. Contudo, os ingleses foram sempre superiores e poderiam ter ampliado a vantagem, não fosse o herói Nilson a defender uma grande penalidade.

O Benfica foi ao Sao Paolo defrontar um Nápoles "eléctrico", que soube reagir ao golo do estreante Suazo, com 2 golos de rajada de Vitale e Denis. Na segunda parte da partida, os "encarnados" sofreriam o terceiro golo, num golo de Maggio a meias com Leo. Luisão ainda reduziria para 3-2, num jogo que ficou marcado pela grande exibição de Suazo, e pela dureza dos jogadores napolitanos, ignorada pelo árbitro.

O Vitória de Setúbal defrontou um frágil Heerenveen, tendo sido superior durante todo o jogo. Leandro Carrijo apontou o golo dos sadinos, que tiveram em Pranjic o seu jogador mais perigoso. Quando já nada o fazia prever, Elyounossi colocou o resultado em 1-1, em tempo de descontos.

Os maritimistas tinham a tarefa mais complicada à partida, mas deixaram uma excelente imagem, perante um gigante do futebol europeu. O Valência marcou cedo, por intermédio de Morientes, e adivinhava-se uma goleada... No entanto, o Marítimo não baixou os braços e equilibrou o jogo, atirando duas bolas ao ferro, por intermédio de Marcinho e Fogaça. O 0-1 penaliza a equipa portuguesa, que merecia mais sorte.

Finalmente, vindo da Taça Intertoto, o Braga confirmou o estatudo de favorito perante um Artmédia muito distante daquele que venceu o Porto há poucos anos. O jogo teve um sentido único, e o resultado final de 4-0 podia ter sido ainda mais alargado. Meyong foi o herói do jogo, apontando um hat-trick e fabricando a assistência para o golo de Evaldo.

Em resumo, o Braga é a única equipa lusa com a passagem à fase de grupos da Taça UEFA praticamente garantida. Benfica e Setúbal terão de suar para dar a volta à eliminatória. Guimarães e Marítimo terão uma tarefa herculiana para levar de vencidos Portsmouth e Valência, respectivamente, duas equipas de outra galáxia.

Eis os resultados dos 40 jogos da 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça UEFA:

FC Moscovo-FC Copenhaga, 1-2
Litex Lovech-Aston Villa, 1-3
Cherno More Varna-Estugarda, 1-2
Hapoel Telavive-Saint Etienne, 1-2
Slaven Belupo-CSKA Moscovo, 1-2
Ostrava-Spartak Moscovo, 0-1
Brann Bergen-Deporivo Corunha, 2-0
Feyenoord-Kalmar, 0-1
Hamburgo-Urinea Urziceni, 0-0;
Nancy-Motorwell, 1-0
Omnia Nicósia-Manchester City, 1-2
Portsmouth-Vitória de Guimarães, 2-0
Wolfsburg-Rapid Bucareste, 1-0
Slavia Praga-Vaslui, 0-0
Austria Viena-Lech Poznan, 2-1
Beziktas-Metalist Kharkiv, 1-0
Zilina-Levski Sofia, 1-1
NEC Nijmejen-Dínamo Bucareste, 1-0
Timisoara-Partizan Belgrado, 1-2
Bellinzona-Galatasaray, 3-4
Kayserispor-Paris Saint-Germain, 1-2
Young Boys- Clube Brugge, 2-2
Santander-Honka, 1-0
Milan-Zurique, 3-1
Borussia Dortmund-Udinese, 0-2
Brondby-Rosenborg, 1-2
Dinamo Zagreb-Sparta Praga, 0-0
Sampdoria-Kaunas, 5-0
Sevilha-Salzburgo, 2-0
Rennes-Twente, 2-1
Borac-Ajax, 1-4
Napoles-Benfica, 3-2
Everton-Standard Liege, 2-2
Tottenham-Wisla Cracovia, 2-1
Braga-Petrzalka, 4-0
Maritimo-Valência, 0-1
Vitória de Setúbal-Heerenveen, 1-1

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Os melhores golos da 1ª jornada da Champions

1º - Del Piero (Juventus vs Zentit)



2º - Gerard (Marselha vs Liverpool)



3º - Fernandinho (Basileia vs Shakhtar)


"Levezinho" está de volta

Paulo Bento sofre, a partir de ontem, de uma dor de cabeça "levezinha". Liedson está completamente recuperado e já treina sem qualquer vigilância médica. Com o regresso do goleador, resta saber quem irá sair do onze... Derlei (que neste momento se encontra lesionado) e Yannick Djaló têm formado uma boa dupla, e Postiga deu a importante vitória sobre o Braga no reduto dos arsenalistas. Rodrigo Tiuí não entra para estas contas. Uma coisa é certa: com Liedson a 100 %, Paulo Bento não abdicará do "31".

Está aí a Taça UEFA

Cinco equipas portugueses iniciam esta quinta-feira a sua participação na Taça UEFA.
Benfica, Vitória de Guimarães, Sporting de Braga, Vitória de Setúbal e Marítimo são os representantes nacionais na segunda prova europeia de clubes.
O Benfica joga em Nápoles (20:00 horas), num encontro onde Quique Flores já disse não haver favoritos uma vez que as duas equipas se equivalem.
Sem poder contar com Cardozo, que cumpre suspensão, a grande incógnita é a possível estreia do hondurenho Suazo, jogador que conhece bem o futebol transalpino, onde evoluiu várias épocas.
O Marítimo, que recebe o Valência, um dos históricos do futebol espanhol, terá à partida a missão mais complicada. O jogo nos Barreiros começa às 21:00.
O Sporting de Braga, que se apurou para a UEFA via Taça Intertoto, recebe a partir das 20:30 o Artmedia, da Eslováquia, clube que já tem experiência na Liga dos Campeões, onde conseguiu mesmo surpreender o FC Porto.
O Vitória de Setúbal actua em «casa emprestada» - joga no Estádio José Alvalade às 20:00 contra o Heerenven, da Holanda, com quem perdeu a eliminatória da mesma competição, há duas épocas.
Também o Vitória de Guimarães, à semelhança da equipa sadina, procura um bom resultado na primeira 'mão', neste caso em Inglaterra frente ao Portsmouth (18:00), única forma de pensar numa possível qualificação para a fase de grupos.
Nos restantes jogos, AC Milan, Ajax ou Tottenham, históricos na Europa, são claramente favoritos nos jogos com Zurique FC (Suíça), Borac (Sérvia) ou Wisla Cracóvia (Polónia).
José Peseiro e José Couceiro, treinadores portugueses ao serviço do Rapid Bucareste (Roménia) e Kaunas (Lituânia) jogam com os alemães do Wolfsburgo (de Ricardo Costa) e italianos da Sampdória, respectivamente, e não terão tarefas nada fáceis.

Programa dos jogos das equipas portuguesas:
Portsmouth - Vitória de Guimarães (18h00, Sport TV1)
Nápoles - Benfica (20h00, Sport TV1)
Sporting de Braga - Artmedia (20h30)
Marítimo - Valência (21h00, Sport TV2)
Vitória de Setúbal - Heerenveen (21h00)

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Liga dos Campeões: Vitória contra a história

O FC Porto bateu, esta quarta-feira, no Estádio do Dragão, os turcos do Fenerbahçe por 3-1 e lidera o grupo G, já que no outro jogo da primeira jornada, Dinamo de Kiev e Arsenal empataram a uma bola. Com este triunfo os 'dragões' quebraram a sina de não vencer nos jogos de estreia na Liga dos Campeões, que já levava 5 anos.
O campeão nacional entrou bem no jogo, sendo que logo aos dez minutos marcou o primeiro golo, com Lisandro a dar o melhor seguimento a um cruzamento da esquerda de Raúl Meireles.
Ainda a equipa turca 'digeria' o primeiro golo, quando o FC Porto marcou o segundo, três minutos depois, com Rodriguez do lado esquerdo e centrar para a entrada da área, onde apareceu Lucho Gonzalez, que rematou de primeira.
Pouco depois, Lisandro Lopez teve outra oportunidade, mas isolado, perante o guarda-redes turco, tentou o chapéu, que saiu muito alto.
No entanto, a resposta do Fenerbahçe acabou por chegar, aos 28 minutos, através do espanhol Dani Güiza, que recargou com sucesso um cabeceamento de Alex, que foi defendido por Hélton.
Na segunda parte, o jogo foi mais equilibrado e com menos emoção, já que o terceiro golo do FC Porto só chegou aos 90 minutos, já depois da equipoa turca ter ameaçado por algumas vezes a baliza azul e branca.
Uma boa jogada individual de Sapunaru, deixou Lino perante Demirel, e o lateral brasileiro não teve dificuldades em fixar o resultado final em 3-1.

Resultados da noite:

- Grupo E:
Manchester United - Villarreal (0 - 0)
Celtic - Aalborg (0 - 0)
- Grupo F:
Lyon - Fiorentina (2-2)
Steaua Bucareste - Bayern Munique (0-1)
- Grupo G:
Dynamo Kiev - Arsenal (1-1)
FC Porto - Fenerbahçe (3-1)
- Grupo H:
Real Madrid - BATE Borisov (2-0)
Juventus - Zenit (1-0)

Liga dos Campeões: Hoje é a vez do Dragão

O FC Porto recebe esta quarta-feira os turcos do Fenerbahçe. Com Fucille castigado, há alterações na estrutura defensiva da equipa, mas Jesualdo Ferreira pode mexer em todos os sectores. Certo é o apoio do público, pois nas bancadas do Estádio do Dragão vão estar mais de quarenta mil espectadores.
No meio campo da equipa do FC Porto são quatro os candidatos para fazer companhia a Raul Meireles e Lucho González. Guarín, Fernando e Tomás Costa já passaram pelo lugar e agora há mais um interessado, Pelé.
Na frente de ataque Cristian Rodriguez e Lisandro estão certos. Mariano González e Tarik lutam pelo lugar na ala direita. Seja como for, todos sabem da importância de uma vitória na jornada inaugural. Diz a história que o FC Porto se dá bem com equipas turcas. Em cinco jogos três vitórias um empate e apenas uma derrota.
O Fenerbahce, do campeão europeu Luis Aragonés, passa por um momento complicado. Em três desafios no campeonato venceu um e perdeu dois. Já se fala em crise, mas o técnico espanhol garante que a partida de hoje marcará a nova fase da equipa.

Jogos desta quarta-feira:

Grupo E: Celtic-Aalborg; Manchester United-Villarreal, 19h45
Grupo F: Lyon-Fiorentina, Steaua Bucareste-Bayern Munique, 19:45
Grupo G: Dínamo Kiev-Arsenal, F.C. Porto-Fenerbahçe, 19:45
Grupo H: Juventus-Zenit, Real Madrid-BATE Borisov, 19:45