quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Que saudades do 'Sargentão'

Quando um treinador é contratado, há que dar tempo para que este imponha os seus métodos. No caso de Carlos Queiroz, esse tempo tem obrigatoriamente de ser mais curto do que o normal, dada a sua experiência e todo o 'know how' que possui do futebol português. Há também que dar o benefício da dúvida, pois cabe ao 'Professor' a difícil tarefa (já começada por Scolari) de renovar a Selecção Portuguesa.

Se a inesperada derrota caseira frente à Dinamarca é perdoável, o mesmo já não se pode dizer do empate com a Suécia, sobretudo pela atitude que os jogadores portugueses demonstraram em campo. «Um empate na Suécia é um bom resultado», vociferaram seleccionador e jogadores do final do encontro. De facto seria, se Portugal não tivesse desperdiçado cinco pontos com dinamarqueses e albaneses... O embaraçoso empate de ontem frente a uma selecção que ocupa o 41º lugar no ranking da UEFA fez corar de vergonha qualquer adepto português.

Para além das (muito) questionáveis tácticas e substituições de Queiroz, os jogadores não demonstram aquela atitude e garra que outrora nos levaram ao topo do futebol mundial. O facto de Deco, Maniche, Simão e Ricardo Carvalho não terem jogado não é desculpa aceitável. Sem querer menosprezar a selecção... albanesa, uma qualquer equipa da nossa Liga Vitalis tinha boas hipóteses de vencer a partida de ontem. Os operários albaneses (que jogaram 50 minutos com dez elementos) lutaram até à última gota de suor, enquanto que os 'meninos' Ronaldo, Quaresma, Manuel Fernandes ou Nani pareciam estar a participar numa competição individual de dribles...

A acrescentar à fraquissíma prestação dos jogadores, saliente-se a falta de respeito quer para com o público português presente em Braga, quer para todos os que sofregamente visionavam o jogo pela televisão: num lance em que deixou escapar a bola, Ronaldo ouviu assobios do público (que não parou de apoiar a equipa), que exigia maior esforço da parte do melhor jogador do mundo. O CR7 não gostou, abrindo os braços para os espectadores e proferindo palavras insultuosas para aqueles que sempre o apoiam a cada jogo no Manchester United, Selecção, ou inaugurações de lojas de roupa; Gilberto Madaíl (não estará este senhor a mais na FPF?) abandonou o jogo dez minutos antes do seu terminus; nem Carlos Queiroz nem qualquer elemento da Selecção apareceu na 'flash-interview', desrespeitando mais uma vez todos os adeptos que acompanhavam o jogo pela tv (que cobardia!); Nuno Gomes, questionado se os jogadores não deviam um pedido de desculpas aos portugueses, recusou responder e abandonou a entrevista.

Urge reaplicar métodos 'militares' no seio da Selecção. Crescem as saudades do 'Sargentão'. Cinco pontos em doze possíveis fizeram soar o alarme. Para Portugal chegar ao 1º lugar do grupo, terá de ganhar todos os jogos até ao fim da qualificação. Será possível? Sim, se até Março de 2009 muita coisa mudar...

2 comentários:

Pedro Canteiro disse...

Eu cá tenho mesmo saudades é do Figo, Rui Costa, etc, etc

Pois... disse...

mas a geração de oiro já era....