quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

O Porquê das mudanças de Jesualdo!

Para a meia-final da Taça da Liga disputada em Alvalade entre Sporting e Porto, Jesualdo Ferreira reservou muitas surpresas!
Em primeiro lugar, o treinador azul e branco resolveu convocar ,para este encontro uma equipa de segunda linha, ou seja, dispensou os habituais titulares e, para os seus lugares, chamou os jogadores suplentes e alguns atletas das camadas jovens (juniores e juvenis).
A primeira, e mais óbvia, explicação que nos ocorre é que o Mister quis poupar os jogadores titulares para o encontro de Domingo, referente ao Campeonato, frente ao Benfica (2º classificado, com apenas um ponto a menos). Contudo, podemos apontar algumas razões menos óbvias:

· O FC do Porto encontrava-se, antes do inicio do encontro, em quatro frentes (Campeonato Nacional, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga dos Campeões). De todas elas, a Taça da Liga surge como a menos importante para este grande, que tem como objectivo principal vencer o campeonato;


· Por outro lado, a continuidade do modelo de convocatórias de atletas de segunda linha nesta competição, até mesmo quando está em jogo a passagem a uma final, permite ao treinador moralizar a segunda linha, demonstrar a sua confiança nos jogadores, testar opções pouco utilizadas e até dar-lhe algum ritmo de jogo;


· A equipa que se apresentou em Alvalade permite ainda minimizar os efeitos da derrota no balneário, pois o FC Porto perdeu com um grande, mas fê-lo com uma equipa pouco rotinada que apesar de tudo bateu-se de forma satisfatória até ao segundo golo do Sporting (já na segunda parte).


Para além destas alterações estruturais, o meio de transporte utilizado na deslocação da equipa a Lisboa torna-se também motivo de curiosidade! Porquê o comboio? Bem, como já foi referido, Domingo vai decorrer um encontro que pode ser determinante na conquista pelo título. Jesualdo precisa, por isso, de aproveitar ao máximo as sessões de treino disponíveis para preparar o colectivo para essa partida. Ao deslocar-se para Lisboa e regressar no próprio dia, o treinador evitou o desperdício de, pelo menos, duas possíveis sessões de treino com os titulares. A preferência pelo comboio prende-se com o facto deste permitir a chegada a Lisboa de forma mais rápida e menos cansativa que o autocarro. Para o regresso o meio de transporte seleccionado foi o avião.
Concluindo, apesar de nos poder parecer um desperdício disputar uma meia-final nestas condições, é preciso ter em conta as motivações que levaram a tais opções. Neste caso, os objectivos principais da equipa acabaram por “obrigar” o mister a realizar alterações algo drásticas. Contudo, para além desse motivo de força maior, outras razões “secundárias” podem se apontadas. É caso para dizer que, no futebol como em tudo, é preciso saber para onde se vai e, sobretudo, optar!

2 comentários:

gorka disse...

Mamàbucha Jisualdo!

Drulo disse...

este gajo menosprezou o adversário, a prova, e mais importante... os adeptos e o clube. Goleados contra os lagartos?! Pelo amor de Deus. Apesar de ainda não ter muito reconhecimento, esta não deixa de ser uma prova em que se conquista um trofeu. É por estas e por outras que espero ansiosamente pelo final da época para te pores a andar daí para fora...

Jorge Jesus... JÁ!!!