quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Ser ou não ser Português?...

Num momento em que a selecção nacional, ao contrário do que muitos vaticinavam, está cada vez mais próxima da África do Sul, muitas vozes se voltam a levantar contra a suposta selecção "luso-brasileira" que representa a FPF.
Dizem "eles" que Deco, Pepe e Liedson não são Portugueses. Começa logo por aqui o equivoco... Não nasceram em Portugal? Mas será o local onde uma pessoa nasce o factor decisivo para se respeitar o símbolo de uma bandeira? Tem qualquer pessoa deste mundo que defender até à morte o seu país somente porque teve o azar/sorte de nascer em determinado sitio? Felizardos dos que nascem em pleno voo no meio de um oceano qualquer perdido pelo planeta...

Para mim esta situação é muito simples, Deco, Pepe e Liedson são aquilo que são hoje porque, clubes filiados na FPF lhes ofereceram condições para atingir o patamar onde estão, têm os direitos e deveres essenciais que qualquer cidadão português possui, exerceram a sua actividade em Portugal durante pelo menos 5 anos, estão perfeitamente identificados com a cultura portuguesa, a língua, o modo de vida e os costumes do país, estão bem longe de poder ser considerados simples contratações para a selecção nacional como se de um qualquer clube se tratasse...
Ainda para mais, tratam-se de cidadãos com origem num país que nos é bem próximo e que tem cada vez maior representação no nosso país. Basta para tal sair às ruas de Lisboa e arredores, meus amigos...

Dizem "eles" também, que desta forma perde-se completamente o conceito actual de selecção nacional. Na minha opinião é apenas o adaptar deste conceito a uma nova realidade, uma realidade em que os povos estão cada vez mais próximos, uma realidade em que não faz sentido discriminar uma pessoa apenas porque teve o azar ou a sorte de nascer a meia dúzia de horas de distância do local de trabalho, uma realidade em que vivemos num mundo global!

No entanto, é agora necessário um maior controlo, é importante que a legislação seja igual em todos os países, que não se permita transformar uma selecção num clube de futebol em que os mais poderosos triunfam sempre. Por isso, o que está a acontecer em Portugal deveria ser, na minha opinião, um modelo a seguir no resto do Mundo.

Só para terminar, quero dizer que respeito todas as opiniões de igual forma, mas custa-me um pouco respeitar as opiniões mais intransigentes, se quando no nosso clube, mesmo em desacordo com tudo e todos apoiamos e vibramos com as vitórias, porque não o podemos fazer também com a selecção nacional? Fica a questão para mais tarde reflectir.

Confesso também que já estava com medo de perder as emoções a que a nossa selecção nos foi habituando de dois em dois anos lá para os meses de Junho e Julho. Nem o Verão era o mesmo!

Viva Portugal!!

4 comentários:

Gilson disse...

Pô cara, tou com vocês!!!

Rui T. disse...

Se não ganharmos a Malta é o cumulo!!

PSP disse...

portugal vai passar o playoff

disse...

Gostaria de ver Portugal no Mundial sim, porque sou português, porque respeito o que é nacional, amo a bandeira e idolatro o hino.
Agora, a selecção portuguesa à muito que deixou de respeitar isso.

A vergonha que é ver o hino nacional a ser tocado no estádio, ver toda a gente a gritar, a glorificar Portugal e depois observar jogadores com a camisola das quinas vestida a "ignorar" por completo. Deco, Pepe, Liedson calados, com uma cara de espanto, e Bosingwa a olhar para o lado com cara de quem "que musica é esta que está a tocar?!"

É vergonhoso e espero incessantemente por uma selecção 100% portuguesa.