segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Uma década especial

Sinto-me um privilegiado por viver na era José Mourinho!

Dez anos de José Mourinho são, obrigatoriamente, dez anos especiais recheados de conquistas. José Mário dos Santos Mourinho Félix nasceu em Setúbal a 26 de Janeiro de 1963 e é filho de um ex-guarda-redes português, Félix Mourinho. José Mourinho nunca conseguiu seguir uma carreira de futebolista como o pai, teve algumas tentativas mal sucedidas em clubes menores, mas desde muito cedo mostrou uma habilidade inata para organizar e preparar os relatórios das equipas do pai. Em meados da década de 90, foi contratado para trabalhar com o técnico inglês Bobby Robson, no Sporting Clube de Portugal. Mourinho ganhou aí a alcunha de Tradutor e manteve-se o braço direito do treinador inglês quando ele se mudou para o FC Porto e mais tarde para o Barcelona. No dia 20 de Setembro de 2000, há exactamente 10 anos, surgiu a oportunidade de treinar uma equipa portuguesa, foi o escolhido para comandar o Sport Lisboa e Benfica após a 4ª jornada da Liga Portuguesa. Quando começa a conquistar os adeptos benfiquistas (especialmente depois da vitória contra o rival Sporting por 3-0) há eleições no Sport Lisboa e Benfica. Muda a presidência de João Vale e Azevedo para Manuel Vilarinho. Mourinho saiu do Benfica, mas ainda durante essa época assumiu o comando da União de Leiria, onde se manteve até Janeiro de 2002.

Nesse mês, é escolhido para substituir Octávio Machado no comando técnico do FC Porto e à chegada Mourinho prometeu com invulgar certeza o título na época seguinte. Com o rigor táctico, a paixão, a organização e a determinação de Mourinho o Porto cresceu em Portugal e na Europa. Em dois anos venceu duas competições europeias – Taça UEFA contra o Celtic de Glasgow e Liga dos Campeões contra o Mónaco – e os dois campeonatos. Após o seu brilhante trabalho no Porto, Roman Abramovich, presidente do Chelsea, decidiu contratá-lo em Junho de 2004 e José Mourinho tornara-se assim um dos treinadores mais bem pagos do Mundo, ganhando cerca de 6 milhões de € por ano. A 30 de Abril de 2005, Mourinho faz história, sagrando-se campeão inglês após vencer o Bolton por 2-0. O Chelsea não ganhava a Premier League há 50 anos. Apesar de tudo isto, para muitos, Mourinho ficou assombrado pelo dilema da Champions League, uma vez que o técnico português foi eliminado por duas vezes nas meias-finais da competição frente ao rival Liverpool, em 2004/2005 e em 2006/2007. Já em 2005/2006 caiu aos pés do gigante Barcelona nos oitavos-de-final numa eliminatória recheada de polémica. Mesmo assim e na minha opinião, é notável todo o seu trajecto na Champions desde o FC Porto até agora. A 20 de Setembro de 2007, José Mourinho e o Chelsea chegaram a mútuo acordo para a rescisão de contrato. Apesar disso, a sua popularidade no clube londrino é tal que ainda hoje, em Stamford Bridge, vê o seu nome entoado em cântico, não sendo raro Mourinho ser clamado para regressar ao clube inglês!

Após algumas semanas em que circularam rumores de que seria treinador do Inter de Milão, a sua contratação foi oficializada a 2 de Junho de 2008. De salientar um aspecto curioso relacionado com a apresentação do "special one" no Inter: Mourinho não quis dizer que era especial. Antes quis realçar que quem era verdadeiramente especial era o próprio Inter, lembrando para isso a grande importância que o clube detém na história do futebol, ao contrário do Chelsea, o seu anterior clube. Em Itália, Mou ganhou tudo o que havia para ganhar e no dia 22 de Maio de 2010 conquistou a Champions League pela segunda vez na sua carreira, vencendo na final o Bayern Munique de Van Gaal por 2-0. José Mourinho tornou-se assim o primeiro treinador de sempre a fazer o “triplete” por duas vezes, ou seja, vencer o Campeonato Nacional, a Taça e uma Competição Europeia. Na época 2002/2003, com o FC Porto, conquistou a Liga Portuguesa, a Taça de Portugal e a Taça UEFA e na época 2009/2010, com o Inter de Milão, ganhou o Campeonato Italiano, a Taça de Itália e a Liga dos Campeões! Actualmente, o treinador português vai encantando no Santiago Bernabéu, mostrando que em apenas dez anos a sua ascensão foi meteórica. Só a título de curiosidade, na sua infância José Mourinho baptizava os seus cães com nomes de jogadores de futebol. Um deles recebeu o nome do lendário jogador holandês Ruud Gullit.

Ser o melhor é ganhar 17 troféus em dez anos de trabalho, é estar permanentemente no centro das atenções. É, fundamentalmente, ser diferente de todos os outros!


3 comentários:

Pedrinho disse...

tanta paixão num artigo, parabéns

Delantero disse...

Gostei da emoção presente neste post.

Mourinho sempre no topo.

Juca disse...

Um verdadeiro senhor!